Inicial / Diversos / Falta de valorização dos policiais civis é destaque na tribuna da Alesc

Falta de valorização dos policiais civis é destaque na tribuna da Alesc

A situação das promoções da Polícia Civil foi destaque na tribuna da Assembleia Legislativa de Santa Catarina na semana passada. O deputado Maurício Eskudlark cobrou do governo do Estado a valorização dos policiais civis. Segundo o deputado, o governo se comprometeu a fazer uma promoção dos policiais civis. Mais de 100 policiais têm direito e aguardam a promoção. “Mas o governo promoveu oito policiais que não querem trabalhar na linha de frente e estão em cargos na promotoria e Secretaria de Estado”, protestou Eskudlark. Ele disse que policiais trabalharam a vida toda e não vão chegar ao fim da carreira por falta de promoção, e agora o Executivo encaminhou à Assembleia Legislativa um projeto que vai impedir a evolução funcional porque limita os gastos. “Isso vai desmotivar a carreira.”

O presidente do Sinpol, Anderson Vieira Amorim agradeceu e parabenizou o deputado pelo posicionamento na defesa dos direitos dos Policiais Civis.

 A maior vergonha de todos os tempos!

Não vemos com bons olhos quando governantes que devem governar para todos, o fazem somente para uma ínfima parcela. Não, não somos coniventes e nem gostamos de diferenciações salariais quando temos os mesmos níveis de instruções e as responsabilidades são tão importantes quanto.
Não nos agradam governos que inventam mil e uma desculpas e nos mantém em modelos falidos de Polícias, pagando altos salários no topo e baixíssimos nas bases, desrespeitando inclusive as previsões legais.
Não somos obrigados a fazer aquilo que a lei não prevê, mas fazemos para ajudar a sociedade, porque acreditamos que ajudando a sociedade, seremos reconhecidos, infelizmente não é o que tem acontecido, fazemos mais do que recebemos para fazer, mais do que o nosso contrato determina e no final, ao invés do reconhecimento, temos notícias como: Não temos condições de analisar as promoções dos Policiais Civis.
Nos enrolam por anos, esperam que sejamos benevolentes e submissos, subservientes, que tenhamos resiliência.
Temos muita resiliência sim, senhores governantes, mas uma hora isso acaba e os responsáveis pelos resultados da crescente criminalidade não poderão ser cobrados de nós, principalmente, quando vocês fecham os olhos, calam e permitem que as portas continuem entreabertas.
Não nos permitir um modelo de promoções eficientes, quando todos os servidores públicos de SC já os possuem, é no mínimo degradante.
Nossos Policiais Civis estão desesperados com a falta de respeito, com a falta de reposição salarial, com o descaso do Governo para com a nossa categoria.
Estamos há anos sem um mísero aumento sequer do vale alimentação, diárias congeladas (isso quando recebemos), salários congelados, pois não recebemos nem mesmo a data-base, isso mesmo, nem uma reposição inflacionária, e o governo? Bom, segue sem nos atender e fazendo cara de paisagem, para agora dizer que vai congelar tudo.
Parem de brincar com coisas sérias senhores e senhoras gestores, pois nossas vidas também seguem os mesmos rumos de todo e qualquer cidadão, nossa gasolina também aumentou, nossa luz, aluguel, prestação do colégio, universidades, enfim, não achem que vivemos de favores ou que os aumentos de preços dos produtos e serviços não nos atingem.
Um pouco mais de respeito pelos Policiais Civis de Santa Catarina é só o que pedimos.
Destravem nosso processo promocional imediatamente, autorizem as mudanças que estão há mais de dois anos paradas no Centro Administrativo, nos permitam termos dignidade para podermos continuar tratando a sociedade catarinense com respeito.

Anderson Vieira Amorim
Presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Santa Catarina – SINPOL SC
Conselheiro Nacional de Segurança Pública
Diretor da Organização Internacional das Entidades Policiais dos Países da Língua Portuguesa – OIP

 

 

Veja Também

Governador Raimundo Colombo afirma ao Sinpol/SC que concederá as Promoções aos policiais civis de SC

A diretoria do Sinpol/SC esteve na quinta-feira (9) em Rio do Sul, onde, durante uma …